quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O ESSENCIAL E O RESTO

Rui Rio anunciou a desistência da sua candidatura à Presidência da República. É nestas particularidades da política que se vê o pragmatismo da direita, que se une sempre à volta do que é essencial (neste caso ter candidato único), mesmo que os ódios dilacerem interiormente os chefes. Passos Coelho não chamou "cata-vento" a Marcelo? Agora,é o seu candidato porque o essencial é ganhar.
A esquerda não tem emenda: os candidatos reproduzem-se como cogumelos, e alguns bem venenosos, por sinal. Aqui, é o primado da divisão e os ajustes de contas pessoais (e os fretes). Colocam sempre à frente do essencial, o acessório. A estupidez e a sacanice política andam por aí, de mãos dadas,  e muito bem distribuídas!

Sem comentários:

Enviar um comentário