terça-feira, 22 de dezembro de 2015

BANCOS, TROIKA E CAPATAZES...

Duas notícias de hoje do "DN" sobre o crime (como disse Mariana Mortágoa, lembram-se?) do BANIF e sobre outros crimes, que os portugueses pagam sempre com língua de palmo, como o BPN dos amigalhaços do Cavaco, e do BES. Numa delas faz-se uma contabilidade trágica: "Portugueses já deram 13 mil milhões para salvar Bancos"; em outra diz-se: "Maria Luís acusa supervisão. BdP culpa governo PSD-CDS". Zangam-se as comadres...
A salvação dos Bancos foi sempre a grande aposta da Troika, a que os capatazes portugueses, sempre entusiastas, batiam muitas palmas. E, para fazê-lo, condenavam os portugueses à pobreza, agudizavam as desigualdades, aumentavam o desemprego. Os pobres que paguem a crise! Infernos dentro dos quotidianos, são coisas que não faltam por aí... Mas os grandes sábios da Troika, que passearam por este país arrogância e falsa sabedoria, não só não resolveram nada, como pactuaram com as falências. E ninguém lhes pede responsabilidades, a eles aqui colocados como grandes mestres da UE e do FMI!
Em Portugal, sempre houve uma certa impunidade para as quadrilhas mais ou menos selvagens. Eles por aí andam, saltando de poleiro em poleiro, rindo-se porque o crime compensa. E o povo? O povo paga, aguenta, aguenta... Até que.

Sem comentários:

Enviar um comentário