segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

BANIF? CHAMEM A POLÍCIA...

O que é verdadeiramente espantoso é ouvir ainda Passos & Portas, e os seus (i)legítimos inferiores, como um rebanho de Panurgo a caminho do abismo, fazerem a retórica de uma moralidade balofa, com avisos apocalípticos ao governo de António Costa: não estraguem o que nós fizemos nestes quatro anos e meio! A coisa seria cómica se não fosse dramática. É que não há memória de uns sujeitos fazerem da governança um crime de lesa-pátria, mentindo sistematicamente. O rol imenso de aldrabices abate-se sobre o povo português, e este Natal, quando todos precisávamos de algum sossego e da prometida felicidade mínima, eis que rebenta o escândalo do BANIF, urdido pelo governo PAF, uma vigarice para castigar o povo. Ora, tomem! O BANIF foi, agora vendido, em situação de emergência, ao Santander Totta, por 150 milhões. Silenciosos que nem ratos, durante meses e meses, Passos & Portas deixaram mais esta herança, que se soma a todas as outras desgraças que a sociedade portuguesa conhece bem. Esconderam o jogo, fingiram que estava tudo limpo, e, agora, o Estado português vê-se obrigado a injectar 1.766 milhões de euros directamente do Orçamento do Estado, mais 489 milhões de euros do Fundo de Resolução. Já se está a ver quanto a manobra de Passos & Portas nos vai custar!
Isto é como naqueles filmes em que as quadrilhas têm tal diversidade de personagens, que nunca se sabe quem é o chefe. Eduardo Pitta lembrava ontem, no seu Blogue "Da Literatura", um facto interessante. Lembrou ele o seguinte: "... no primeiro domingo de Agosto de 2014, quando (eram 11 da noite) o governador do Banco de Portugal apareceu em directo na televisão a anunciar a Resolução que deu origem ao Novo Banco. Nesse domingo, o governo de Passos Coelho aprovou, e o Presidente da República promulgou, o Decreto-Lei n.º 114-B/2014, de 4 de Agosto. Nesse domingo, com o PM e a maioria dos ministros na praia, a operação teve quatro intervenientes: o governador do BdP, o vice-primeiro-ministro, a ministra das Finanças e o Presidente da República. Únicos subscritores do diploma: Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque".
Tudo limpo, "limpezas" era com eles, que estimavam a saúde do sector acima de tudo. Era, aliás, nisso que trabalhavam os já referidos malfeitores, com os sábios da Troika, que em saúde financeira foram também dos que carregaram nos gatilhos...
Quanto ao BANIF, até a Comissária Europeia deitou as mãos à cabeça: "os bancos não podem ser mantidos artificialmente no mercado com dinheiro dos contribuintes". E talvez nada defina melhor o quadro do que as palavras que a deputada do BE, Mariana Mortágua, disse hoje aos jornalistas: " O governo PSD/CDS cometeu um crime contra os interesses do Estado e do país. Ao longo de três anos, o executivo de Passos e Portas ignorou sucessivos avisos da Comissão Europeia, que recusou nada menos que oito planos de reestruturação apresentados pela administração do BANIF. Já em Setembro, avisado pelo auditor do BANIF da necessidade de uma intervenção imediata, o governo optou por nada fazer. Enquanto o governo da Direita, com a colaboração das instituições europeias, se preocupava em encenar a famosa saída limpa, a real situação do BANIF foi ocultada até se tornar insustentável. O governador do Banco de Portugal não tem as mínimas condições para se manter no lugar. O BE irá propor uma comissão parlamentar de inquérito à gestão e intervenção no BANIF para apurar todas as responsabilidades sobre o caso".
BANIF? Chamem a polícia! Já! E, enquanto ela não vem, oiçamos os Pink Floyd sobre "Money".




1 comentário:

  1. Fiz a guerra colonial numa tropa dita de élite.Enfrentei,das maneiras mais violentas,gente digna e séria que combatia por uma causa que eu conhecia. Que erro colossal,que desperdício! A luta decisiva era aqui,continua aser aqui,contra estes bandalhos que nos roubam,crucificam e arrancam da nossa terra para fora! Adorada G3,respeitada Kalashnycov,saudosos RPGs,leais morteiros: como me sois indispensáveis agora! O inimigo está aqui,à nossa frente,a mostrar os dentes e a roncar grosso,o sem vergonha!Não trememos outrora;firmes e calmos,com mais razões que nunca,cumpramos o nosso dever!!!

    ResponderEliminar