sábado, 19 de dezembro de 2015

O MEDIDOR DE PALAVRAS

ILUSTRAÇÃO DE ZÉ DALMEIDA
Passava na televisão a voz empastada de Cavaco Silva, ainda a fazer de Presidente, numa visita qualquer a uma empresa, enrolando palavras sobre o sistema financeiro. Tento na língua, dizia ele, por outras palavras, sempre mastigadas e enroladas. De ficar pasmado! De facto, questionado pelos jornalistas sobre a actual situação do Banif, o Presidente da República, dizia o "Expresso" on-line, limitou-se a reafirmar que a estabilidade do sistema financeiro deve ser uma prioridade nacional. Cavaco Silva, prosseguia a notícia, recusou comentar a actual situação do Banif, referindo que é preciso prudência quando se fala em público sobre o sistema bancário. "É preciso medir bem as palavras quando se fala do sistema bancário, porque o seu funcionamento é decisivo para o funcionamento da nossa economia e consequentemente para o crescimento do emprego e da nossa produção", disse, muito sério.
Contado, não se acredita. Então o cavalheiro que, já o BES estava a desfazer-se no seu apodrecimento, veio dizer, citando o Banco de Portugal, que a situação era sólida e catita... enganando e desgraçando muitos portugueses, proclama agora prudência verbal e tento na língua?
Que lata!

Sem comentários:

Enviar um comentário