sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

MARCELO E AS SOMBRAS

ILUSTRAÇÃO DE JOÃO ABEL MANTA
Recolho da reportagem de Miguel Araújo, no "DN", sobre a campanha de António Sampaio da Nóvoa, quando o candidato criticou a ausência de fidelidade de Marcelo não só em relação ao PSD, mas também aos princípios e às políticas de direita, que sempre defendeu.
Diz o jornalista: "Este à-vontade permite ao candidato (que colecciona apoios também entre os antigos Presidentes da República socialistas) comparar-se a Marcelo Rebelo de Sousa. "Se é normal que o papel dos partidos seja diferente" nestas eleições presidenciais, "porque votamos em nomes e não em partidos", já não é normal que um candidato peça "às pessoas do partido do qual foi presidente "por favor, não estejam ao meu lado, atirou. E as orelhas de Marcelo arderam.
Nóvoa evitou referências que outros oradores na sua campanha não evitam às "conversas em família" que o antigo comentador mantinha aos domingos na televisão, mas apontou-lhe "o calculismo e taticismo de uma certa forma de fazer política levados ao extremo", Marcelo só mostra, apontou-lhe o antigo reitor, "a ingratidão de quem, precisando das pessoas que sempre estiveram ao seu lado, as descarta para não estragar o show de uma campanha vazia".

1 comentário:

  1. Já ouviste falar no RBI ? Rendimento Básico Incondicional ? Presta atenção,é o futuro!!!

    ResponderEliminar