segunda-feira, 4 de julho de 2016

A MENTIRA DA EX-MINISTRA

Miss Swaps, de seu nome Maria Luís Albuquerque, que foi ministra das Finanças do governo de Passos Coellho -- esse mesmo, o que desgraçou Portugal! -- resolveu atirar agora uma pedrada ao charco em que se banhou como governante. Veio dizer, nada mais nada menos, isto: "Se eu fosse ministra, as sanções não se colocavam". Dito assim, e por estarmos no clímax do Euro futebolístico, o chuto da ex-ministra foi um clamoroso golo na própria baliza, isto é, nas redes do PSD. A senhora ex-ministra das Finanças arrebitou o nariz, e, fingindo que a ameaça das sanções não visavam -- como visam -- o anterior governo, que foi o incumpridor do défice (a matéria de delito é o défice excessivo de 2015), atirou com a bola da mentira para António Costa e este governo. Ora, de facto, a visada era ela e o seu excelentíssimo governo. É preciso não ter dignidade para vir, assim, mistificar a coisa.
Estava a ler as idiotas declarações da ex-ministra e dei comigo a pensar numa entrevista de Steiner (a que hei-de voltar) em que ele falava na "enorme abdicação da política em todo o mundo" porque "as pessoas já não crêem nela e isso é muito perigoso". São personagens como esta Maria Luís que contribuem para o descrédito. E Steiner lembra, contra essa indiferença larvar que corrói a democracia, o célebre conselho de Aristóteles: "Se não queres estar na política e preferes ficar na vida privada, depois não te queixes se os bandidos te governam".
Os bandidos, disse ele...

2 comentários:

  1. Queiramos o não, estamos todos na política. Podemos é estar feitos monos, que também é estar.
    Maria Luís não me merece atenção. Como dizem os nossos irmãos que não gostam de nós nem como primos em quarto grau, quero que se escafenda (é um verbo muito salutar).

    ResponderEliminar